Estratégias para e-commerce. Foco nos resultados

Se você está procurando de Estratégias para e-commerce para seguir em frente com sucesso, ou até mesmo para iniciar, o seu. Pronto, chegou no lugar certo!

Acredite, algumas estratégias podem ajudar um e-commerce a decolar, tornando-se um negócio de alto faturamento.

Olha, muitas dessas estratégias são lições aprendidas justamente com as lojas virtuais mais consolidadas de mundo e são ideias que deram certo e podem ser replicadas.

(Continue lendo e confira logo abaixo).

Para que você entenda as características que diferenciam os diversos modelos de e-commerce, preparamos um guia completo sobre o tema para sanar todas as dúvidas que você tem a respeito de um e-commerce.

E para não ficar cansativo, e extremamente loooooongo, dividimos esse guia em 7 partes. Nesta nossa “trilha e-commerce” você aprenderá:

Muito bem, agora que está tudo explicado. Vamos lá?

Estratégias para e-commerce: Fazer uma segmentação dos clientes

Este é um tema que é hiper importante para um e-commerce que quer trabalhar ou já trabalha com diferentes tipos de produtos, a segmentação dos clientes é estratégia indispensável.

Para iniciar, essa segmentação deverá ser feita com base em informações cadastrais do perfil individual – como sexo ou idade, por exemplo – mas, também, com base em informações coletadas a partir da interação do usuário com a própria loja virtual.

Essas informações você pode obter através de cadastro desses usuários em sua loja virtual, também pode ser feita através de formulários inteligentes em seu site ou alguma landing page.

É por meio dessa segmentação que um site, como por exemplo o Submarino, pode enviar e-mail marketing personalizado, com ofertas diferenciadas para o usuário que demonstrou interesse em televisores, ou em brinquedos, ou em vinhos. Sacou? rs… 🙂

Uma das principais responsáveis por fazer essa estratégia funcionar é a tecnologia de cookies.

Estratégias para e-commerce: Apostar em Marketing de Conteúdo

Marketing de conteúdo

marketing de conteúdo é outra estratégia de altíssimo potencial para alavancar um e-commerce. Enquanto algumas pessoas podem achar que o conteúdo vai distrair usuários dos produtos, o que realmente acontece é o contrário.

Bons artigos podem servir como ponte para levar mais visitantes ao e-commerce. Os melhores exemplos são reviews e comparativos de produtos ou artigos explicando como usar os itens vendidos pelo e-commerce.

Defina sua Persona

O primeiro passo é definir quem é a sua Persona, ou seja, com quem o seu conteúdo vai dialogar. Sabe aquele perfil de cliente perfeito? Então, é esse perfil que você vai escolher para criar a persona.

Essa definição está muito relacionada com o conceito por trás do seu e-commerce. Que tipo de produto vocês vendem e para quem?

Por exemplo, um e-commerce de roupa feminina vai dialogar com um público muito diferente de um e-commerce de roupa infantil, ou de instrumentos musicais, ou de vassouras. Entendeu?!

Porém, tenha cuidado! O processo para definir a persona não é igual a definir o perfil do cliente. Ele precisa ser muito mais detalhado e focado em sanar as dores, os desejos e os interesses dessa persona. Chamamos de persona exatamente porque você precisa idealizar uma pessoa específica.

Além de levantar dados como faixa etária, gênero ou profissão, também será preciso pensar em seu estilo de vida, interesses pessoais e dificuldades. Dessa forma, você vai produzir conteúdos muito mais direcionados e muito mais eficientes.

Definição de pautas

Depois de ter investido um bom tempo, o que é super recomendado, para definir a persona, o próximo passo importante é estruturar as pautas. Não basta levantar assuntos interessantes; as pautas precisam se encaixar dentro do funil de vendas. O quê? Como? Quem? Onde? Calma, lembre-se que estamos aqui para te ajudar.

Em outras palavras, essas pautas precisam conduzir o usuário desde o estágio da curiosidade, quando ele visita seu site apenas para conhecer, até o momento em que ele esteja bem informado e confiante para fechar a compra, esta fase dizemos que ele está no fundo do funil de vendas.

Por isso, algumas pautas devem ser mais amplas e com uma abordagem mais superficial do tema, enquanto outras vão tocar em pontos específicos e trazer um olhar aprofundado, dando segurança para o seu cliente fazer uma transação com sua loja.

Por isso aconselhamos fortemente que é indispensável que os conteúdos sejam produzidos de maneira a construir um relacionamento com o usuário. Para que ele se converta em um cliente ativo e fiel, ele deve sentir que sua empresa é confiável, entende do assunto e conduz seu trabalho de maneira profissional.

Calendário editorial

Depois de todas essas ideias, insigths e reuniões para definir a persona e as pautas. Finalmente chegamos em outro ponto essencial no Marketing de Conteúdo é estabelecer um calendário de publicações.

Acredite, essa ferramenta vai facilitar a organização da equipe responsável por produzir o conteúdo, além de gerar uma consistência que aumenta o interesse do usuário.

Importante pensar que ele, o usuário, deve retornar mais vezes ao seu site, pois sabe que seu e-commerce sempre publica algo novo. E, quanto mais ele volta, mais ele compra (essa é a ideia, claro).

Mas não podemos esquecer de alguns “detalhes”. O marketing de conteúdo engloba diferentes mídias sociais e permite que o e-commerce dialogue com o público através de outros canais, como a Fan page do Facebook, Instagram ou Youtube.

Basta escolher quais deles serão mais interessantes para o perfil do negócio e, claro, de seus clientes.

Conteúdo gerado pelo usuário

Uma outra estratégia que apostamos é apostar em User Generated Content – conteúdo gerado pelos usuários. No caso de um e-commerce, o exemplo clássico são as avaliações de quem comprou o produto. Que é mais ou menos aquela ideia que conhecemos, o famoso “boca a boca”.

A vantagem desse tipo de conteúdo é que ele possui alta credibilidade para os visitantes do seu site. Uma avaliação positiva pode gerar várias outras vendas. Portanto, foco na experiência do cliente.

Estratégias para e-commerce: Aumentar o ticket médio

Opa, aumentar o ticket médio!!! Quem não quer não é verdade? Então, aproveite a estratégia típica do e-commerce que é trazer, na página dos produtos, opções para o usuário comprar mais. 🙂

Em termos técnicos, chamamos de “aumentar o ticket médio”, ou seja, aumentar o valor médio que um cliente gasta por compra. É por isso que geralmente encontramos sugestões do tipo “Quem viu esse produto, também viu”, ou “Quem compra esse produto, também compra”.

Basicamente, essa estratégia funciona como a organização das vitrines ou prateleiras de uma loja física, sempre Pensando em levar o consumidor a comprar por impulso.

Estratégias para e-commerce: Fidelizar os clientes

Enquanto essa estratégia acima é útil para levar o consumidor a comprar mais de forma imediata, existe uma estratégia para levá-lo a voltar mais vezes e comprar de novo. Quer saber como?

Trata-se dos cupons de desconto e dos programas de fidelidade. Ok…ok… essas não são estratégias exclusivas do e-commerce, mas ficaram muito mais práticas através do ambiente digital.

Vamos imaginar essa cena: logo depois de finalizar uma compra, o cliente pode receber em seu e-mail um código para 15% de desconto para a próxima conta, por exemplo. Ou, em outro caso, no próprio carrinho de compra ele pode optar por utilizar os pontos acumulados no programa e abater no valor final.

Essas estratégias ainda melhoram a satisfação do cliente em relação ao atendimento do e-commerce, pois ele se sente mais valorizado e sente que recebeu mais valor agregado em sua compra.

Estratégias para e-commerce: Inovar na categorização dos produtos dentro do site

Estamos acabando, hein. Não desanime agora. Continuando, vamos a mais uma estratégia de e-commerce? Qual?

Trata-se de criar categorias de produtos sazonais, como “Natal”, “Dia das Mães”, “Dia dos namorados”“Páscoa”… essas categorias agrupam produtos diferentes, mas que possuem um tema ou utilidade em comum.

Isso facilita muito a navegação do usuário, especialmente no caso de quem precisa comprar um item para certa ocasião, mas ainda não decidiu exatamente qual será. Aqui que você entra.

Para tornar essa estratégia ainda mais efetiva, o e-commerce pode dividir os produtos dessas categorias por faixa de preço, como “até 100 reais” e “até 200 reais”.

Estratégias para e-commerce: Simular experiências de compra em loja física

Pronto para iniciar os trabalhos com seu e-commerce? Opa… então anote essa dica bônus.

Uma das estratégias mais recentes, usada por e-commerces como o Extra.com.br, é a possibilidade de o usuário fazer uma contraproposta ao preço de um produto. Legal não é? Desta forma o cliente pode fazer uma simulação da negociação que poderia ocorrer com o vendedor em uma loja física.

Essa estratégia permite que a experiência de compra se torne mais dinâmica, além de aumentar o valor percebido pelo cliente na interação com a loja virtual.

Bem, vamos ficando por aqui e fica o convite, fique conosco. Acompanhe nossa “trilha e-commerce”. Tem dúvidas? Quer saber algo específico? Deixe seu comentário que será um prazer falar com você. Até o próximo post.

Leia também:

O que é e-commerce? Tudo o que você precisa saber
Como Surgiu o e-commerce
Tipos de e-commerce. Conheça cada um e como funcionam
As principais empresas de e-commerce
Lojas no Instagram: Venda direto no seu Perfil
Quais as diferenças entre Perfil Pessoal e Página no Facebook?

Chinese (Simplified)EnglishFrenchPortugueseSpanish